O remo foi a primeira modalidade praticada no Clube Fluvial Vilacondense, aproveitando as condições naturais existentes em Vila do Conde, dado que o Rio Ave permitia o desenvolvimento deste tipo de desporto, sobretudo, numa altura em que a oferta de actividades desportivas escasseava.

Numa 1ª fase, desde a fundação do Fluvial até 1951, a modalidade era praticada de forma lúdica e de recreio, não existindo qualquer carácter competitivo. O Clube organizava diversos passeios fluviais e festivais náuticos que contavam com a participação de vários clubes congéneres, trazendo a Vila do Conde uma enorme diversidade de embarcações: escaleres, barcos de pesca, catraias, miranços, botes, entre outros.

A partir de 1908, assiste-se a um primeiro esforço para incentivar a prática competitiva, através da aquisição de novas embarcações. Inscrito desde 1914 na Federação Portuguesa de Remo, o Clube Fluvial Vilacondense filiou-se na Federação Portuguesa de Remo, que veio substituir o organismo anterior, em 1920.

A 2ª etapa da modalidade inicia-se em 1951, com o baptismo de duas novas embarcações (yolles de 4) durante a Festa de Homenagem ao Brasil. Verifica-se, de facto, um acréscimo de entusiasmo e incentivam-se os treinos e as competições. No entanto, o rio Ave não dispõe de uma “pista” adequada à prática da modalidade o que impede a realização de provas oficiais em Vila do Conde.

Em Maio de 1952, na pista do rio Douro, foi obtido o 1º título nos Campeonatos Regionais de Remo em yolle de 4, seguindo-se outras distinções similares. O 1º título de «Campeão Nacional de Principiantes em yolle de 4» surge em Agosto de 1964, na Figueira da Foz, com a tripulação formada por Avelino Gonçalves do Carmo, Eduardo Campos de Oliveira Fraga, Manuel João de Sousa Lima, Américo da Costa Leite de Magalhães e Manuel Justo da Silva (timoneiro).

A primeira referência à existência de tripulações femininas data de 1928. Embora o objectivo recreativo fosse durante muito tempo o mais importante, o certo é que também as tripulações femininas começaram a competir. Em 1971, o Fluvial conquista o 1º título de Vice-Campeão Nacional em «shell de 4 com timoneiro», com a equipa Dolores Lopes, Renata Lapa, Isabel Cardoso, Isabel Celeste e Síria Melo (timoneira).

O 3º período da modalidade tem a sua génese com o estabelecimento em Vila do Conde duma escola de remo da Direcção Geral dos Desportos. Com a distribuição aos clubes de embarcações afectas à extinta organização da Mocidade Portuguesa e ao notório despertar da consciência autárquica para o incremento do associativismo.

Em 1980, a construção do Posto Náutico vem a revelar-se decisiva para o impulso da modalidade sendo inúmeros os títulos nacionais alcançados pelos nossos atletas.

 

 

Imprimir  
dummy